sexta-feira, outubro 02, 2009

Boteco São Bento - o pior bar do sistema solar

Edição posterior: encontrei esse texto no blog do Cardoso, e resolvi aderir à ideia. Não sei se o texto original é dele, mas fica impossível confirmar com tantos blogs o reproduzindo; de toda forma, acho que quem criou queria iniciar uma espécie de marketing viral, então creio que o Sindicato dos Blogueiros não vai me processar — apenas os advogados de merda, já fartamente conhecidos.


O blog Resenha6 escreveu o post abaixo (detalhes ulteriores aqui) sobre o péssimo atendimento de um tal "Boteco São Bento". O resultado foi o dono do bar aparecer nos comentários atacando no melhor estilo baixaria os donos do blog, coisas do nível "Felizmente não precisamos de clientes do seu perfil" pra baixo.

Como essa estratégia não foi bem-recebida pelos leitores, o próximo passo foi soltar uma notificação extra-judicial, basicamente ameaçando de processo o blog, caso não retire em 24 horas o post.

Pois bem; acho que advogados também merecem ganhar seu dinheiro, então sugiro que a advogada do Boteco São Bento tenha bastante trabalho. Minha proposta: TODOS, digo TODOS os blogs devem publicar o MESMO post. Assim ela terá que enviar notificação para TODO MUNDO. Ou fechar a Internet.

Aqui minha contribuição. Aguardo a notificação.



Depois da Faixa de Gaza e do Acre, este é o pior lugar do mundo para você ir com os amigos. Caro, petiscos sem graça e, principalmente, garçons ultra-power-mega chatos: você toma dois dedos do seu chopp, quente e azedo que nem xoxota nos tempos dos vikings, eles já colocam outro na mesa. E se você recusa, eles ainda ficam putos. Só tulipadas diárias no rabo para justificar tamanha simpatia no atendimento.

* Fui no da Vila Madalena. Dizem que o do Itaim é ainda pior.
* Para dicas de botecos que valem a pena, leia outras resenhas aqui.
* Siga o Resenha pelo Twitter antes que eu bote outro link na mesa.


Resenhado por
Raphael Quatrocci

30 pessoas leram e discordam:

Gael González disse...

Segue cópia do e-mail encaminhado para <4dp.dig.deic@policiacivil.sp.gov.br>, setor especializado da polícia do Estado de São Paulo na investigação de crimes e ilícitos civis/violações de direitos constitucionais pela internet:

"Ilmo. Sr. Dr. Delegado,

Gostaria de ver examinado o seguinte blog: http://tristesses.blogspot.com/.

Dentre os delitos praticados, estão os de incitação ao crime (art. 286, CP) e apologia de criminoso (art. 287, CP), ambos de ação penal pública incondicionada.

Ademais, há indícios de injúria (art. 140, caput, CP) e injúria qualificada (art. 140, § 3º, CP), não se podendo dizer ao certo se o(a)(s) ofendido(a)(s) tomou(aram) conhecimento do teor do blog.

Além disso, há também sérias violações a direitos civis e garantias constitucionais de particulares, tanto pessoas jurídicas quanto pessoas físicas, não se podendo afirmar ao certo se são de conhecimento do(a)(s) lesado(a)(s).

Sob o suposto manto da "liberdade de expressão", o autor do blog perpetra vários crimes e ilícitos civis, instiga novas ocorrências e faz pouco caso das autoridades, dando a entender que seu comportamento é legítimo.

No exercício de meus direitos e deveres de cidadão, é o que me cumpre informar.

Grato pela atenção".

Vamos aguardar... mesmo você sendo inexpressivo, quem sabe a lógica brasileira de se combater só peixes pequenos não se aplique ao caso, e você vá ser mulherzinha de presidiário, como sempre sonhou... aliás, dizem que eles têm um carinho especial por defensores da filosofia "bandido bom é bandido morto".

Abraço.

Gael González disse...

Ah, só pra lembrar: Gentili tem dinheiro, Tulio Vianna também, além de ser, ele mesmo, advogado.

E você? Vai pedir ajuda ao seu "Sindicato dos Blogueiros"?

Boa sorte.

Flavio Morgenstern disse...

Não se preocupe, Gael: além de ter advogado MILHÕES de vezes melhor que o MERDINHA do Túlio Vianna trabalhando pra mim DE GRAÇA, tenho também trouxa que faz propaganda igualmente gratuita pra mim.

Exempli gratia, você! =D

Pode mandar pra mais uns adevogadozinhos de quinta categoria como o Túlio Vianna, por favor? Estou com preguiça de mandar e-mail para formas inferiores de vida.

Beijinho.

João Marcelo disse...

Como assim "sua proposta"? Vc não acha realmente que essa idéia foi sua, não é? Quero acreditar que vc apenas esqueceu de colocar o trecho entre aspas para indicar que foi escrito por outra pessoa, porque foi, meu velho...

Sugiro que vc conserte a coisa, ou vai ter blogueiro caindo em cima de vc por plágio...

Sofia disse...

Cuidado, Flávio, que esse Gael te ama, hein? Nunca vi tanta obsessão virtual por alguém...

O resto nem merece ser comentado. Tem tanta coisa melhor pra fazer do que contra-argumentar defensor do merdinha q

Gael González disse...

Não sei se você leu, Flavio, mas o e-mail não foi mandado para advogados, e sim para o setor especializado da Polícia do Estado de São Paulo para investigação de crimes e ilícitos civis/violações de direitos constitucionais pela internet (<4dp.dig.deic@policiacivil.sp.gov.br>)

Seu caso, agora, é de polícia... e dos seus supostos advogados (aliás, claro que você tem vários... como pude eu supor que voce nao teria alguma coisa?).

Mas relaxa. Se não virar nada, você escreve um pseudo-artigo aqui falando da incompetência da polícia e do judiciário em perseguir e punir vermes medíocres que se escondem atrás de computadores para cometer e incitar crimes contra a honra pelo covarde meio virtual. Chama todo mundo de merdinha e vai reconhecer corpos, seus argumentos de costume.

Flavio Morgenstern disse...

João Marcelo, dê um search pelo título desse post no Google e veja QUANTOS você vai achar. Eu só não dou os créditos porque não sei de quem foi a ideia original...


Gael, não sei se você reparou, mas isso aqui estava às moscas até ontem... pode ameaçar mandar um camburão me prender lá em casa hoje? Não sei como não coloquei AdSense até agora nisso...

E eu ataco a polícia?! Quem ataca são os vermes covardes que se aproveitam de cadáveres. Aliás, repetindo: vermes e covardes, ouviu, Tulinho?! É exatamente isso que você é: um verme e um covarde que se aproveita de um cadáver, exatamente como Champinha se aproveitou, apenas para argumentar pro domo sua.

Confundir advogando buscando fama às espensas de cadáveres com a Justiça é o fim... faça mais propaganda pra mim, Gael! Quero mostrar como advogadozinhos vermes e covardes (vai me processar por isso também, ou deixa que eu te processo?) cometem crimes e mais crimes e não são punidos...


Sofia, uma das minhas advogadas (não fique com ciúmes, tem espaço pra você se divertir com os vermes e covardes também) me falou ontem: "Tá vendo? Fodeu e não ligou no dia seguinte, dá nisso!".

Bem... sabe como é, né?

João Marcelo disse...

Acho bom vc colocar uma nota explicativa então, exatamente com o que disse agora, porque fica parecendo que quer demonstrar que a idéia foi sua... não é honesto, vc não acha?

Gael González disse...

Flavio, você está se fazendo de idiota? Não é que você ataca a polícia, é que a polícia vai examinar seu blog, em que você comete e incita leitores a cometer, em massa, crimes de injúria contra Tulio Vianna e mesmo o bar São Bento.

O proprietário do bar, aliás, será provavelmente notificado, porque os crimes de injúria são de ação penal privada, e só ele pode mover processos. E aí incumbiria a você indicar todos os co-autores, pra se juntarem a você... como réus, não como justificativa.

Mas os de apologia ao crime e instigação ao crime são de ação penal pública, pelo que você pode ser indiciado de imediato.

Numa versão para quem se faz de tonto (que, no caso, se aplica pra quem é, de fato, iletrado): aquilo que transcrevi foi um e-mail subscrito por três advogados e endereçado à Polícia (mais precisamente, ao setor de crimes eletrônicos), noticiando os vários crimes (citados no e-mail) que você comete ao chamar alguém de "merdinha" ou dizer para que todos denigram a imagem de um estabelecimento comercial.

Se a polícia ou o Ministério Público vão dar a mínima pra algo tão pequeno, já que têm pedofilia, racismo e outros crimes mais graves para investigar, isso é matéria pra você escrever depois, achincalhando pifiamente coisas sobre as quais não tem o menor conhecimento, como de costume.

Mas você é um criminoso virtual, meu chapa. Assim como vários blogueiros, e cedo ou tarde a casa cai, porque não é à custa de crime que alguém se projeta pessoalmente. Por enquanto são eventos esparsos, mas a sensação de impunidade entre os anônimos virtuais que se acham no direito de dizer o que quer que lhes passa pela cabeça, sem saber se a lei proíbe ou não, tende a aumentar. É enquadrar uns cinco ou seis pra servir de exemplo e o resto borra de medo. A covardia é o traço principal dessa gente, junto com o mau-caratismo.

Quanto a você debater com o Tulio em algum meio de comunicação sério... não me faça rir mais do que já faz ao tentar comentar coisas sobre as quais é totalmente ignorante. Opinar bem usando só o senso comum é para pessoas inteligentes e sagazes. Falta muito pra você... talvez devesse fazer um curso técnico qualquer pra criticar algo específico, como uma má peça de tornearia. Poderia se sair menos mal.

Bom, mas enquanto espera pra ver no que vai dar, dá um pulo no IML pra reconhecer uns corpos, pra passar o tempo. Aproveite e chame de 'propaganda gratuita' os deveres cívicos das pessoas. Tenho certeza que o freeAd fez o pessoal da Polícia Civil ficar fã do seu blog.

Abraço e muito sucesso.

Flavio Morgenstern disse...

João Marcelo, como sua críticafoi bem fundada, resolvi aceitar a bronca.

Gael, satisfeita?

Gael González disse...

Fazendo "resistência civil", alterando o código penal e a teoria do crime a seu bel-prazer e tentando distorcer os fatos... pretensioso, como de costume. E risível. Não conhece sequer o conceito de "retorsão", acha que a antijuridicidade ainda obedece às leis de talião...

Bem, pouco me importa o que você escreve, está tudo agora (inclusive a sua "resposta") à disposição das autoridades competentes.

Aguardemos.

Abraços.

Sofia disse...

Gael (seja lá quem for essa criatura) diz: "Se não virar nada, você escreve um pseudo-artigo aqui falando da incompetência da polícia e do judiciário em perseguir e punir vermes medíocres que se escondem atrás de computadores para cometer e incitar crimes contra a honra pelo covarde meio virtual."

O trecho transcrito acima, de autoria desconhecida - sim, desconhecida, haja vista tratar-se de um psedônimo usado por quem o redigiu com o propósito deliberado de esconder a sua identidade - seria apenas mais um despautério digno de desprezo, não fosse o anonimato rechaçado veementemente pela Lei que Regula a Liberdade do Pensamento e da Informação. Em outras palavras, seria cômico se não fosse delituoso.
Ou será que o autor de identidade desconhecida pensa que o anonimato lhe proporciona super-poderes para dizer, desdizer, acusar, ameaçar, insultar, ofender, difamar, falsear a verdade e ainda torná-lo incólume às vistas da lei?
O covarde virtual - repetindo os termos que o próprio utiliza - que se auto-denomina "Gael", com o intuito de esconder sua real identidade, parece que ainda não se deu conta de que o simulacro que ele tem perpetrado, sob a pretensa alegação de fazer uso de seus direitos de cidadão, exigindo justiça para indivíduos que supostamente tiveram sua honra ofendida é a maior prova de ele - e não o autor deste Blog - é quem acredita na incompetência da polícia e do judiciário.
E mais: demonstra como este indivíduo acredita estar acima de tudo e de todos ao afirmar, solenemente, que o autor deste Blog é um "verme medíocre que se esconde atrás de computadores para cometer e incitar crimes contra a honra pelo covarde meio virtual", quando essa mesma descrição poderia ser perfeitamente aplicável ao próprio, considerando tudo o que ele escreveu.
Sem pudor algum, Gael se gaba - no melhor estilo "faça o que eu digo mas não faça o que eu faço" - de agir no interesse de vítimas indefesas e aciona o poder público para investigar uma lista extensa de supostos crimes que têm sido praticados neste Blog. Agora vem aquela velha pergunta: burrice ou má-fé?
Eu diria burrice, não fosse a quantidade de ataques pessoais e provocações reiteradas praticadas por ninguém menos que o nosso cidadão exemplar: Gael, um pseudônimo para alguém que pretende invocar direitos de cidadão se nem ao menos sabemos se cidadão ele é.
E aqui fica meu pedido às autoridades que porventura venham averiguar as acusações contra este Blog: antes de iniciar qualquer procedimento cabível, favor informar a identidade de quem fez a solicitação desta investigação. Porque mais odiosa do que a covardia de quem se esconde sob um pseudônimo é a decisão de lhe conferir legitimidade para fazer denúncias abstratas e sem fundamento; como se alguém que se esquiva da imputação de alguma responsabilidade, escondendo-se sob o manto de um pseudônimo, fosse digno de merecer a mesma atenção por parte das autoridades que um cidadão que expõe sua opinão sobre fatos do cotidiano, na forma que a lei lhe garante e que tem bastante caráter para se identificar, de fato merece.
Enquanto isso, da minha parte, pretendo continuar usufruindo da garantia constitucional que a Carta Maior deste país me concede, que é a de manisfestar livremente meu pensamento, desde que não seja sob a figura sórdida do anonimato, fato que não me preocupa, pois trata-se de coisa que eu nunca fiz.
À quem se utiliza desse subterfúgio para escrever sobre o que lhe aprouver, todavia, não foi dado o mesmo tratamento pelo nosso Constituinte. Assim sendo, sugiro ao Gael, se não quiser ser ele próprio objeto de investigação pelas autoridades competentes, emitir seus pareceres com o seu verdadeiro nome ou, então, permanecer anônimo e calar-se, poupando-nos de ler as besteiras que lhe poluem o cérebro e economizando o tempo de pessoas sérias, que têm mais o que fazer do quê cuidar de seus melindres pessoais.

Gael González disse...

Esta cidadã acima seria uma das "advogadas milhões de vezes melhores que o Tulio"?

Ou seria só alguém que não sabe que a vedação constitucional do anonimato não tem efeitos penais, senão na lei de imprensa (não é o caso pra blog) e nos crimes de denunciação caluniosa e falsa comunicação de crime (que também não são o caso, pois os crimes estão aí, pra todo mundo ver)? Ou ainda que o dolo específico dos tipos dos crimes contra a honra exige um sujeito passivo claramente determinado, e não genérico?

Tsc tsc... A melhor idéia continua sendo mandar e-mail pedindo pro Tulio te defender...

Gael González disse...

Mas como eu disse antes, cansei. Deixa pras 'otoridadi' e pras pessoas diretamente envolvidas.

Melhor agora eu me concentrar em como vou cobrar do autor do blog por toda a "publicidade" que fiz pra ele.

Abraço a todos, beijo (e uma estrelinha na testa, em honra ao mérito e referência discreta ao nosso grande Lula) pra Sofia, minha causídica mais brilhante, e lembranças às mamães de todos nós, sempre muito queridas.

Até nunca mais.

Flavio Morgenstern disse...

Gael, pelamordedeus, não suma!

Sei que estás tremendo de medo, exatamente como o merdalhão (para me corrigir após o meu pedido de desculpas) por você ser um criminoso, cuja investigação pode te deixar em maus lençóis (talvez você preferisse estar em lençóis com Túlio Vianna... ou com Champinha, o que pode ser tentado, mas sem garantias).

Mas, por favor, o que seria de mim sem você?! Você sabe, tudo o que ganhei de fama e fortuna foi com um demente, advogado de sexta categoria, imbecil que quer calar o debate na base da ameaça, como se você fosse a única pessoa que entendesse de Direito por aqui.

Por sinal, você ainda se coloca no manto da própria autoridade — coisa que não o é, pois faço troça de vermes como você e Túlio Vianna, e não de autoridades que precisam ser informadas dos crimes praticados tanto por você quanto por ele, se é que não são a mesma pessoa. Isso também constitui crime — art. 299 CP. O anonimato não te livra de "crimes de denunciação caluniosa", o que, apesar de você negar, o fez, e ainda me chamou de verme e de covarde (sem contar o próprio Túlio Vianna, que me chamou de "reacionário raivoso" e disse iria deixar "a cachorrada latir".

De toda forma, não fuja! Mesmo que sua mania de querer empacar ainda mais a Justiça com blogs que não merecem sequer desprezo [aposto que também o faz pro domo sua, pois pode estar defendendo a pedofilia e outros estupradores e assassinos em seu(s) próprio(s) blog(s)], perderemos muito da nossa diversão sem ter "autoridades" (cof, cof!!) de quem rir — muito ao contrario das Polícias, estas sim, autoridades que merecem respeito, e também meus panegíricos quando enche Champinha de porrada.

Gael González disse...

Ah, não me obrigue a voltar. Na pressa, você distorceu o artigo errado. Falsidade ideológica não é o caso, talvez você tenha querido dizer auto-atribuição de falsa identidade, que fica oito artigos pra cima.

Quanto à denunciação caluniosa. Não, não existiu. Você chamar o Tulio de "merdinha" é crime de injúria, e eu comunicar isso às autoridades é pleno exercício regular de direito. E espero que você tenha lido (mesmo que mal) o que é denunciação caluniosa, acho que está confundindo um pouco as coisas.

E eu disse que você escreveria sobre vermes covardes que se escondem atrás de computadores... se alguém vestiu a carapuça, fez por livre e espontânea vontade.

É, claro que não sou o único que entende de direito aqui... mas os demais não incluem você, né? Pelamordedeus...

Uma vez mais, deixo pras autoridades.

Beijão.

Mel disse...

Ô da poltrona, vai ser difícil encontrar juiz pra condenar o cidadão por injúria contra pessoa jurídica, hein?!

Flavio Morgenstern disse...

HAHAHAHAHAHHAHAHAH!!!!!!!!!!!!

Ai, Gael, ich liebe dich!

Tudo isso por te comer sem ligar no dia seguinte? Você já contou isso pro Túlio, né?

Sofia disse...

Gael,

Para sua triste informação, não sou adEvogada, muito menos de porta de cadeia, graças à Deus!
Interessantíssimo o fato de você mesmo questionar - e justificar - a validade jurídica dos seus argumentos, sendo que eu nem entrei nesse mérito exatamente para não desperdiçar meu tempo discutindo com alguém(?), ou melhor, ninguém!
Mas diante da sua afirmação absurda, segundo a qual ,"a vedação constitucional do anonimato não tem efeitos penais, senão na lei de imprensa (não é o caso pra blog)" você provou que precisa urgentemente de umas aulinhas básicas sobre Principiologia Jurídica, então vou te dar apenas uma dica: a lei de imprensa foi revogada pelo STF! (ou o seu professor esqueceu de mencionar isso?). Logo, os casos atinentes à atividade da imprensa passaram a ser regidos pela Constituição da República (o que inclui a vedação do anonimato que ela instituiu, veja só!) e pelos Códigos Penal e Civil deste país. E antes que você se empolgue e diga que o CP, mais do que nunca, se aplica aos Blogs, lembre-se daquela regrinha primária em Direito que garante a supremacia da Constituição sobre os demais diplomas legais. Assim, basta fazer um silogismo para chegar à conclusão de que você precisa estudar um pouquinho mais antes de alardear posicionamentos doutrinários como se fossem leis. Aliás, em se tratando de fontes do Direito (e não estou me referindo àquela que produz água, só para deixar claro) a doutrina perde feio para a legislação, assim, você deveria ler menos livros de gosto duvidoso e recorrer à Constituição para subsidiar suas declarações, só pra variar.
Você parece ser um estudante de Direito até esforçado, mas nunca deve ter assistido à uma aula sequer sobre Direito Constitucional, razão pela qual você tem tanta dificuldade em elaborar um argumento minimamente plausível e necessite invariavelmente invocar sua pretensa erudição para esconder todo o conhecimento que lhe falta. O que é realmente uma pena, pois demonstra desde logo o tipo de profissional que você vai ser... Algo bastante parecido com seu ídolo, o Excelentíssimo doutor em Ciências Penais. E não agradeça nem se sinta lisonjeado por isso, lembre-se que a própria classe jurídica trata o Direito Penal como um pseudo-ramo do Direito, o que talvez justifique a restrição cognitiva do seu ídolo à esta área tão limitada.
Enquanto os bons juristas se preocupam em estudar Hermenêutica e a Constituição, os penalistas se contentam em decorar a Parte Especial do CP, algo tão "complexo" que qualquer presidiário consegue fazer - e o faz. Aposto que o Marcola colocaria o professor-pop no chinelo em qualquer discussão envolvendo "Direito Penal".
O Flávio também seria capaz do mesmo feito, porém, ele teria mais dificuldade, pois seria preciso um rebaixamento intelectual considerável para nivelar (por baixo) a qualidade do debate. Convenhamos, é perfeitamente compreensível que ele não se sujeite à tal ultraje.

No mais, retribuo a estrelinha na testa com um par de orelhas energúmenas (em honra ao mérito e referência discreta ao nosso Excelentíssimo), se é que você já não as possui desde o nascimento, não é mesmo Gael?

Gael González disse...

Mel: RT 776/609-TACCrim-SP.

Sofia: o inciso do art 5º da CF que veda o anonimato é norma de eficácia contida, bebê... e o CP faz duas menções relevantes ao anonimato, nenhuma é tipo autônomo. E o dia em que o Poder Judiciário puder "revogar" leis, não esqueça de me avisar... Mas ó, uma dica: acho que vai demorar, hein, espera sentada... LICC, 1º aula. Achava que era o Flávio o responsável pelos comentários sem qualquer conhecimento de causa. O resto da sua enorme lenga-lenga deve ser tão patético quanto esse comecinho juridicamente analfabeto, e eu não li e nem pretendo.

Agora estou indo. Eu NÃO tenho mais o que fazer, e nem isso justifica ficar lendo essa merda toda.

Sofia disse...

O STF pode tudo! O que mata muito adEvogado de ódio por aí. Se dê ao trabalho de ao menos pesquisar antes de dar pitaco e, se realmente quiser discutir sua tese de que o Judiciário não revoga leis, especialmente as inconstitucionais, vá debater com os eminentes ministros da mais alta Corte que tomaram a decisão. Pega este link de presente, já que aparentemente nem usar o Google você sabe: http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,stf-derruba-lei-de-imprensa,363661,0.htm
Viu como eu nem precisei esperar sentada?
E não precisa fingir que não leu o que escrevi, porque eu sei que você leu tudinho e ficou tão raivoso que até aprendeu que existe norma de eficácia contida! Pena que isso foi o máximo que você conseguiu. Lembra o que eu te falei sobre parar de ler doutrina? Pois é. Seu esforço foi até bonitinho, mas, atribuir status de regra absoluta à classificação de aplicabilidade normativa, meramente sugerida por José Afonso da Silva, é muita ingenuidade da sua parte... De toda forma, foi um começo. Continue tentando, quem sabe um dia você acerta?
Só não precisa insistir nesse discurso falido de que você é muito "inteligente" para discutir e por isso - só por isso - não vai me responder, porque aqui todo mundo sabe que não é este o caso. Apenas você ainda não percebeu.
É triste ver a necessidade que você tem de afirmar constantemente que eu e o Flávio não temos conhecimento, como se isso te conferisse algum grau de respeitabilidade ou tivesse o condão de provocar algum efeito sobre o que eu sou e o que eu penso.
Tente encarar o lado positivo das críticas ao invés de ficar mendigando atenção.
O seu papel aqui é de nos entreter somente, algo que você faz muito bem por sinal (embora a gente saiba que não é a sua intenção). E quanto mais você tenta ser levado a sério, mais nítida fica sua carência de amor próprio!
Qualquer pessoa normal já teria largado isso pra lá há muito tempo. Mas você não. Apesar de ter falado que não ia voltar ao Blog, que não vai ler o que está escrito, que não vai responder porque sua superioridade não permite e blablablá; no fim das contas você nunca cumpre o que promete e sempre acaba voltando. Será masoquismo? Falta de sexo? Busca de auto-afirmação? Tenho a impressão de que alguém tão sábio como você deve conhecer alguma coisa sobre psicologia, psicanálise e temas afins... Aproveite e faça uma pausa para reflexão. Vai te fazer bem.

Felicidades, meu bem! Você parece que está precisando.

Gael González disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gael González disse...

Hahahahahahaha, Sofia, boneca, você me mata de rir... leis revogam leis. O STF suspende (liminarmente) ou retira (em definitivo) a eficácia de leis em caso de ADIn ou ADPF, e foi o que fez com a Lei de Imprensa.

Uou, acho que confundir os conceitos de vigência, validade e eficácia e ainda se dizer estudante de "Hermenêutica e Constituição" e "principiologia jurídica" é um certo fiasco... é nisso que dá "estudar" por site de notícia da internet... "O STF pode tudo" hahahaha... e se diz constitucionalista?

E você é tão fraquinha que não entendeu que seu argumento é contra a sua própria tese: só na lei de imprensa e em dois artigos do CP havia tutela penal do anonimato. Declarada não-recepcionada (vá prestando atenção nos terminhos, pra quando você resolver falar mais besteirinhas) a Lei de Imprensa pela CF, só os dois artiguinhos que citei ficaram servindo de regramento.

No mais, eu acho que você não quer entender (rezo pra que seja, porque se não conseguir, fica estranho pro teu lado) a questão da vedação constitucional do anonimato. A CF veda, e adotar a classificação do Zé Afonso, do Temer ou até do ridículo do Alexandre de Moraes não muda o fato de que essa vedação não gera efeitos penais sem lei que institua a tipificação... ou será que o STF, que "pode tudo", pode também inventar uma dosimetria da pena pra punir alguém por um crime que não é tipificado?

Jesus, prenda-se às suas liçõezinhas de moral e defesas pelo senso comum, porque você é um fiasco jurídico... e sim, eu estou aqui pra entreter vocês... porque vocês são a platéia que acessa esse lixo... se alguém minimamente capacitado em Direito lesse, a situação se inverteria.

Oh, e bonita sua foto nova no twitter, você é bem lindinha, um verdadeiro anjinho... tá perdendo tempo como Flavete, funcionalmente falando.

Um enorme beijo, meu bebê.

Sofia disse...

- "O STF retira (em definitivo) a eficácia de leis", diz Gael.
- Ou seja, o STF REVOGA leis.
- "Ah, mas a terminologia jurídica está inadequada! Tá vendo como eu sou culto? Eu sei usar o Juriquês com destreza e você não, la-la-lá!", esperneia Gael.
- Parabéns, Gael, você fez a lição de casa, mas isso não muda que o efeito de "retirar a eficácia definitiva" de uma lei é o mesmo que revogá-la, tornando-a inócua no ordenamento jurídico.
- "Mas você não usou a terminologia adequada e isso mostra que você não sabe nada. E, pior, disse que o STF pode tudo. Que absurdo!", brada Gael.
- E pode. Obviamente que nenhum adEvogado está disposto a admitir isso, pois é uma aberração constitucional. Entretanto, é a mais pura verdade. Em momento algum disse que o STF pode desprezar a Constituição, apenas disse que várias vezes ele o faz, quer nós gostemos ou não. Quer brigar contra o sistema? Vá em frente. Faça teses sobre o assunto, aliás, o que mais os doutores em Direito gostam de fazer é isso mesmo: criticar. É um papel válido e alguém tem que fazer, mas prefiro deixar a tarefa para quem tem tempo de sobra para isso.
- "O STF não pode tipificar crimes; a vedação não gera efeitos penais; o termo certo é não-recepcionado ao invés de revogado; você é um fiasco jurídico; sua tese é contraditória; seus argumentos são fraquinhos...", esbraveja Gael indefinidamente.
- q

Flávio, tem gente enrustida com ciuminho de você. Tá vendo? Isso que dá comer e não ligar no dia seguinte. Sua indiferença alimenta esses stalkers obssessivos-compulsivos e eu, que não tenho nada com isso, também virei alvo de faniquitos hormonais. Please, stop eating the tr00ls!

Bom feriado para quem tem vida! E muito Lexotan para o Gael, o pobre anda precisando.

Gael González disse...

Oh, Sofia, você é muito previsível... eu não tinha explicado o porquê de eu ter colocado "revogação", entre aspas, no post anterior ao último, exatamente pra você postar um link de notícias com algum jornalista acéfalo confundindo o termo e você reproduzindo...

Agora estava esperando você falar que o problema é "picuinha terminológica". Claro que É... NÃO existe diferença entre perda de vigência, perda de eficácia e perda ou ausência de validade. NÃO são conceitos diferentes, com efeitos diferentes. O Ferrajoli NÃO dedicou grande parte do melhor livro dele a discutir isso, sobretudo validade formal e material, assunto que NÃO mexe sobremaneira com a questão constitucionalidade x vigência da lei no tempo. Enfim, uma coisa NÃO é uma coisa e outra coisa NÃO é outra coisa, é tudo vala comum. Picuinha de advogado de cadeia. Não tem relevância alguma...

Hahahahahahahaha, engraçadíssimo isso, pseudo-hermeneuta, pseudo-constitucionalista... o que mais se poderia esperar de uma pseudo-jurista?

O mais é que legal que vi, entre as suas comunidades do Orkut, uma chamada "meritocracia"... tô pensando em que cargo você poderia ocupar, por concurso... Auxiliar II de fórum foi terceirizado pra empresas de limpeza e faxina em geral. Hum, difícil. Sei lá, leia um pouco mais o Estadão Online, quem sabe você vira juíza. ;)

Quanto à constituição incriminar, descrever típo, colocar pena e ser auto-aplicável a partir da expressão "vedado o anonimato", eu aguardo sua primeira condenação como juíza, com esse fundamento. E quero seu livro com dedicatória.

No mais, acho que você não é a Flavete do momento não, hein... senão saberia que o Flavio faz mais o tipo do cara que não come e ainda liga no dia seguinte, chorando... tão te passando pra trás. Opa, por outro lado, isso dá pra notar só de olhar na cara dele... então acho que você não é uma pessoa muito atenta... deve ter sócias platônicas de monte. Ou sócios, porque você disse que ele come homem, o que não faria dele exatamente macho...

Bom, Soph, agora me voy. Um beijo. Qualquer hora a gente bate mais papos. Gosto de gente juridicamente bem-humorada. :P

Sofia disse...

Pessoa com mania de perseguição que não toma o medicamento em dia pensa que tudo é endereçado à ela. Tem que explicar o óbvio senão o indivíduo não entende a piada... Isso é que é inteligência, hein?

Não bastasse, continua se enveredando por um pseudo-debate (uma vez que é preciso pelo menos duas pessoas para haver um debate e o indivíduo está discutindo sozinho já faz tempo) cujo tema, até agora, não está claramente definido.

A gente fala que a Constituição veda o anonimato e o demente, que não consegue raciocinar além da esfera do Direito Penal, automaticamente infere que estamos tentando tipificar o anonimato e passa horas explicando como isso é absurdo. Como só consegue escrever alguma coisa sob a proteção do anonimato, acha que alguém aqui está preocupado em denunciá-lo por isso, quando o desprezo é sempre mais eficaz que qualquer outra medida.

Não satisfeito, vem discutir TGD como se estivesse tratando de matéria de pós-doutorado. Faz um estardalhaço vomitando uma doutrina atrás da outra para uma plateia que não se importa nem um pouco com isso. Acha que alguém com um mínimo de bom senso vai retrucá-lo. Pra quê? Jogar pérolas aos porcos? Oh, God... Seria o cúmulo da mediocridade.

Finalmente, apela para ataques pessoais, fica examinando o conteúdo da minha página no Orkut, no Twitter, e espera obter algum êxito tecendo críticas sobre mim usando, nada mais nada menos, que uma comunidade virtual como embasamento! Ora, me poupe. Acha mesmo que vou contradizer o que um anônimo acha ou deixa de achar a meu respeito? Faz-me rir.

Flávio, again, lembra daquela pessoa a quem eu me referi? Do sexo feminino? Pois é, ela é quem anda enrustida morrendo de ciuminho por sua causa. Tem gente que pega o bonde andando e tira conclusões precipitadas. Estão até questionando sua masculinidade... Enfim, sabendo a doença que acomete tal pessoa, dá até pra entender tamanha fixação por quem a ignora. Mas indulgência tem limite, né?

Gael González disse...

Ora ora ora, Sophie... de quem são as palavras "Assim sendo, sugiro ao Gael, se não quiser ser ele próprio objeto de investigação pelas autoridades competentes, emitir seus pareceres com o seu verdadeiro nome"?

"Investigação" me faz lembrar de crime... A você não? Mas claro que não foi o que você quis dizer. Há os inquéritos civis, que, na sua terrinha do "não", NÃO são exclusivos de ACPs, APs e ações da LRF. Tudo bem... Longe de mim pensar que você quis se referir a efeitos penais... foi um errinho menor de hermenêutica, hahahahahaha.

Depois, você que veio dizer que eu não discuto, que não tenho argumentos, que não leio a CF, não entendo de principiologia jurídica blablabla e agora vem dizer que eu discuto sozinho, e diz que não se dignará a responder... tem um post aí pra cima que fala assim, ó: "Só não precisa insistir nesse discurso falido de que você é muito "inteligente" para discutir e por isso - só por isso - não vai me responder, porque aqui todo mundo sabe que não é este o caso". Parece familiar? Quem estaria contornando todas as discussões e saindo pela tangente diante da própria e total ignorância? Ignorância de conceitos simples que (nem cheguemos a Ferrajoli) qualquer kelsenianozinho cretino aluno do Maneco Ferreira Filho sabe, mesmo que mais ou menos.

E o MAIS LEGAL: você vem reclamar que eu apelo pra "ataques pessoais" por falta de argumento quando todo esse circo começou pelo fato de o Flavio, por incapacidade de criticar o Tulio com argumentos não-risíveis, tê-lo chamado de "merdinha". E você foi defendê-lo com unhas e dentes... Até nisso você se contradiz. Uma ótima memória vai te ajudar muito na sua carreira de juíza.

Mas tá, tá, pare de discutir... não "jogue pérolas aos porcos"... você tá num nível tão superior, mas TÃO superior que transcende a própria lógica. Fala, desfala, acusa e faz igual ou pior. E ainda vem com arzinho de quem tá por cima da carne seca, querendo falar que quem discute é que é o palhaço, sendo que até outra hora o palhaço era aquele que não discutia.

Mas tá legal, ninguém espera discernimento de você, que acredita piamente que o Flavio já comeu alguém na vida, hahahaha.

E, sim, seria pura paranóia minha achar que o "comer e não ligar" era pra mim se nosso querido Flavio não tivesse me dito por scrap que era uma indireta pra mim... pergunta pra ele...

Tá, chega de pérolas, chega de porcos. Mas cada vez que me chamar aqui, eu venho. Vivo única e exclusivamente pra isso. ^^

Um beijo, minha juristinha hors concours, continue assim, toda linda... você fica um encanto com esse biquinho de brava e fazendo chilique.

Gael González disse...

Ah, e de beijinho de boa noite, deixo para todos a seguinte reflexão:

Se formos considerar pelo número de "tweets" enviados incansavelmente pelo Flavio ao Tulio, mais um caminhão de outros "tweets" com "alfinetadinhas" mandados aos amiguinhos e "retweetados" para o Tulio, e até a criação do "#merdinha", tudo sumariamente ignorado pelo destinatário, por favor, pensem e me digam: quem tem fixação por quem? Ou ainda: quem será que comeu quem e não ligou no dia seguinte?

Inventa aí a sua lógica, Sofia, tá todo mundo precisando de algo tão flexível quanto suas induções e deduções.

Boa noite.

Sofia disse...

Você ainda não conseguiu aceitar o fato de que eu parei de discutir com você porque cansei de desperdiçar meu tempo com quem pretende avaliar o conhecimento alheio baseado em Blogs, Twitter e Orkut - clichês da superficialidade pós-moderna. Ao invés disso, você quer porque quer convencer a mim(?), ou sei-lá-mais-quem, de que me falta inteligência para continuar o debate, pois, se inteligente eu fosse, eu não ignoraria uma discussão tão edificante como esta. Aham. A lógica e a noção mandam lembranças. Se situa, Gael! Aceite de uma vez por todas que o seu discurso não me comove e a sua opinião simplesmente não conta. Você se incomoda com o meu desprezo por você? Live with it. E caso não tenha ficado claro: você nunca foi chamado para vir aqui. Você vem porque "vive única e exclusivamente pra isso", o que torna sua existência miserável o bastante para desqualificar qualquer declaração vinda de você.

Sinceramente, pessoa que se passa por Gael, vá se tratar. Você já deixou de ser divertido faz tempo, agora você é apenas ridículo.

*mode off*

Gael González disse...

"Não discuto em blog, orkut, twitter blablabla", mas na hora de dar seus pitacos cretinos, louvar seus ídolos anônimos e ridículos ou fazer alarde com notícias de sites, blogs, revistas e jornais acéfalos, vale tudo. Já na hora de sustentar pensamentos com argumentos, não.

Mas tá certo, Sofia pode ficar com a sua linda auto-estima. Quem sou eu pra trazer as pessoas à realidade...

No entanto, tenho apenas que lembrar que comecei criticando o Flavio, e somente ele, você tomou as dores, falou besteira a não poder mais, teve isso exposto às raias do ridículo, apelou e agora sai de fininho. Uma vez mais, previsível, como não poderia deixar de ser. Vocês, críticos vazios que acham que "abafam" sendo "de direita" e pitacam sobre todo assunto do qual não entendem são produzidos em série.

Uma pena. Eu ri bastante, sobretudo quando você tenta insinuar que o palhaço sou eu, com base num mero discurso de autoridade de uma pretensa maioria ("todo mundo sabe que..."), o argumento dos derrotados.

Mas olha, pensando bem, acho que pode funcionar quando você for ministra do STF. Condena o sujeito a, vamos dizer, 12 anos de reclusão, porque "todo mundo sabe" que a CF fala "vedado o anonimado" e isso te autoriza, já que vai, então, "poder tudo"... ;)

E eu não preciso me tratar... não estou espumando de raivinha por ser incapaz de argumentar. Pelo contrário, estou sereno como sempre, tanto que insisto em te mandar beijinho! Tó: =*